domingo, 13 de junho de 2010

O mundo de Shad


Como o mundo de Shad é diferente.
Quando se olha o mundo de Shad até dói as vistas. Quantas cores, quantas formas,quanto brilho. Quanta poluição visual.
Isso se dá devido as pessoas, elas escolheram ser incomuns.
No mundo de Shad se nasce completamente branco, a partir dos anos os seres de lá vão se modificando , se esculpindo, se pintando, escolhendo as cores e as formas. Lá todos são artistas , suas obras primas são seus corpos.
É incrível como um quer ser mais chamativo e extravagante que o outro, quando se acha que já se viu de tudo, sempre chega alguém com algo a mais.
Shad um simples garoto que não consegue ser tão legal e descolado aparentemente como os outros, procura seu lugar no mundo.
Shad sempre gostou de ser normal, de ter seu estilo reservado e minimalista, de ter personalidade forte sem precisar chamar atenção. Ele não entende como as pessoas se modificam tanto só para serem invejadas.
Andando pelas ruas se vê tantas pessoas diferentes,mas para ele é incrível como todas parecem iguais . Todas são tão chamativas ,todas são tão coloridas,todas tentam ser o centro das atenções, todas buscam um único objetivo. Ser notada!
Shad analisando todas essas pessoas diferentes porem iguais chega a uma conclusão, "Hoje em dia é tão normal ser diferente, que agora o diferente é ser normal."
Shad sente orgulho de ser quem é.
.
.
.
Para fazer esse texto me inspirei na frase que um amigo me disse "Hoje em dia é tão normal ser diferente, que agora o diferente é ser normal.". Essa frase caiu como luva para mim, e me fez pensar realmente em muitas coisas hoje na sociedade. Enfim, espero que isso também tenha algum sentido para vocês. :D

sexta-feira, 4 de junho de 2010

O mundo de Brinley





Brinley, uma jovem garota que se sente infeliz, vive em um mundo medieval, todos trabalhos feitos manualmente, nenhuma tecnologia existente.
Um lugar onde você é da classe alta ou um simples nada tentando sobreviver.
A democracia não existe, quem comanda é o Rei, e seu poder passará de geração a geração.
Brinley se sente tão infeliz, pois seu pai um simples alfaiate e sua mãe uma dona de casa cuidando de oito filhos não podem proporcionar as maravilhas que a majestosa filha do Rei tem.
Eles tentam de todo jeito agradar a filha dando todo amor e carinho,e tentando nunca deixar nada faltar em casa.
Mas Brinley não se satisfaz com isso, ela sonha todo dia com as roupas mais extravagantes e coloridas da Princesa, com aquelas jóias que brilham mais que as estrelas, com os sapatos que parecem nuvens de tão macios.
Brinley não se conforma como a vida é injusta, era ela que devia participar daquelas festas glamurosas no reino, era ela que devia comer aquele banquete de comidas que ela desconhece o nome, era ela que devia dar um show de dança ao som da orquestra.
ERA ELA!
Amaldiçoava a Princesa por nunca parecer estar feliz com o que tem.
Mas Brinley precisa parar de sonhar tanto e voltar a realidade.
O som extrondante de corneta é ouvido pelo povoado, neste momento todos sabem que precisam se reunir no castelo, pois o Rei anunciará algo muito importante.
Brinley se reúne ao resto do povo. Brinley não entende porque todos estão chorando, e porque o Rei está com a afeição mais triste possível.
O Rei tira um pergaminho de aparência molhada, molhada por lágrimas, e lê para todos ali reunidos:

" Pai eu te amo. Mas cansei da minha vida, cansei de ser uma escrava dos costumes impostos, cansei de ficar presa, de ser alguém que não sou, cansei de não poder me divertir e ser igual a todos, cansei de não poder me vestir como quero e de ter que demonstrar felicidade sempre, mesmo quando estou infeliz, cansei de dar ordens a pessoas que são iguais ou melhores que eu.
Cansei de tantas coisas.
Agradeço a todo esforço , a todo dinheiro, a todas jóias e roupas. Mas nada disso comprou minha felicidade, não comprou todo o tempo que perdemos para ser feliz, o tempo que você me deixou de lado para aumentar sua fortuna e poder.
Agora poderei ser livre, ser e fazer o que quero.
Cansei dessa prisão de dinheiro.."

Brinley sente o abraço forte de seus pais, Brinley agora entende que isso nunca valerá toda riqueza do mundo. Brinley agora da valor a tudo o que tem.
Brinley agora é realmente feliz.
.
.
.
.
.
Obrigada meu querido Carlos pela ajuda